Estimativas | Fundação do Câncer
DOE AQUI

Estimativas

banner-estimativas

Estimativa do número de casos novos, em homens, Brasil, 2016

Localização Primária Casos Novos %
Próstata 61.200 28,6%
Traqueia, Brônquio e Pulmão 17.330 8,1%
Cólon e Reto 16.660 7,8%
Estômago 12.920 6,0%
Cavidade Oral 11.140 5,2%
Esôfago 7.950 3,7%
Bexiga 7.200 3,4%
Laringe 6.360 3,0%
Leucemias 5.540 2,6%
Sistema Nervoso Central 5.440 2,5%
Linfoma não Hodgkin 5.210 2,4%
Pele Melanoma 3.000 1,4%
Linfoma de Hodgkin 1.460 0,7%
Glândula Tireoide 1.090 0,5%
Todas as Neoplasias sem pele* 214.350
Todas as Neoplasias 295.200
*Todas as neoplasias, exceto pele não melanoma
Fonte: MS / Inca / Estimativa de Câncer no Brasil, 2016

Estimativa do número de casos novos, em mulheres, Brasil, 2016

Localização Primária Casos Novos %
Mama feminina 57.960 28,1%
Cólon e Reto 17.620 8,6%
Colo do Útero 16.340 7,9%
Traqueia, Brônquio e Pulmão 10.890 5,3%
Estômago 7.600 3,7%
Corpo do Útero 6.950 3,4%
Ovário 6.150 3,0%
Glândula Tireoide 5.870 2,9%
Linfoma não Hodgkin 5.030 2,4%
Sistema Nervoso Central 4.830 2,3%
Leucemias 4.530 2,2%
Cavidade Oral 4.350 2,1%
Esôfago 2.860 1,4%
Pele Melanoma 2.670 1,3%
Bexiga 2.470 1,2%
Linfoma de Hodgkin 1.010 0.5%
Laringe 990 0,5%
Todas as Neoplasias sem pele* 205.960
Todas as Neoplasias 300.870
*Todas as neoplasias, exceto pele não melanoma
Fonte: MS / Inca / Estimativa de Câncer no Brasil, 2016

• Estudos apontam fortes evidências entre o excesso de peso e o desenvolvimento dos seguintes tipos de cânceres: cólon e reto; mama (na pós-menopausa), ovário, próstata, esôfago, pâncreas, rim, corpo do útero, vesícula biliar, e fígado. Os quatro primeiros estão na lista dos mais incidentes no Brasil.

• As carnes processadas podem causar câncer em razão do procedimento industrial a que são submetidas como salga, defumação, cura e adição de conservantes.

• Conservantes como nitritos e nitratos, adicionados aos embutidos, quando chegam ao estômago transformam-se em nitrosaminas, substâncias cancerígenas responsáveis por alterações celulares que podem levar ao desenvolvimento de câncer. Já os defumados, além destes compostos, contêm hidrocarbonetos policíclicos aromáticos e alcatrão, o mesmo encontrado na fumaça do cigarro, e que tem ação carcinogênica conhecida.

• O tabagismo tem relação com vários tipos de câncer (pulmão, cavidade oral, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo do útero, leucemias).

• O tabagismo é responsável por cerca de 30% das mortes por câncer.

• O principal câncer associado ao tabagismo é o de pulmão. Fumantes chegam a ter 20 vezes mais chances de ter este tipo de câncer que não fumantes, 10 vezes mais chances de ter câncer de laringe e de duas a cinco vezes mais chances de desenvolver câncer de esôfago.

• A redução de doenças tabaco-relacionadas, como o câncer, só pode ser observada após décadas de retirada da exposição ao fator de risco. Entretanto, já é possível observar, em homens, tendência à redução da incidência e da mortalidade por câncer de pulmão no Brasil.

• De acordo com a Organização Mundial da Saúde, câncer de pulmão, mesotelioma (tumor do tecido que reveste o pulmão, estômago, coração e outros órgãos) e câncer de bexiga estão entre os mais comuns tipos de câncer relacionados ao trabalho. Cânceres de pulmão e de bexiga estão entre os 10 mais incidentes no Brasil.

• Há evidências de que o uso de agrotóxicos está associado ao aumento do risco de câncer de próstata, principalmente de tumores mais agressivos. O câncer de próstata é o mais incidente entre os homens brasileiros.

• O amianto pode se acumular no ovário de mulheres expostas à substância, aumentando o risco de desenvolver câncer. Entre as brasileiras, o câncer de ovário está em 7º lugar no ranking nacional. Na região Centro-Oeste, aparece como o quinto mais incidente. Além do amianto, é possível citar as radiações ionizantes, a reposição hormonal e o tabagismo, como explicações para esse câncer alcançar esse patamar no Brasil.

• O Brasil está entre os cinco maiores produtores de amianto do mundo.

• Existem hoje, no Brasil, 30 Registros de Câncer de Base Populacional (RCBP) implantados e em atividade (a maioria em capitais). Destes, 26 possuem informações consolidadas, isto é, pelo menos um ano de base de dados disponível, cobrindo aproximadamente 25% da população brasileira.

Fonte: Estimativa 2016 – Incidência de Câncer no Brasil