Fundação do Câncer promove conscientização no Dia Mundial da Prevenção do Câncer de Colo do Útero | Fundação do Câncer
DOE AQUI

Fundação do Câncer promove conscientização no Dia Mundial da Prevenção do Câncer de Colo do Útero

Notícias

Ação reforça a importância da vacina contra o HPV, durante o ano inteiro, para meninas de 9 a 14 anos e meninos entre os 11 e 14

Dentro das ações que marcam Dia Mundial da Prevenção do Câncer de Colo do Útero (26/03), a Fundação do Câncer se engaja na causa e promove conscientização sobre a importância da vacinação contra o papilomavírus humano (HPV). Esse, que é o principal causador da doença, também pode originar outros cânceres tais como os de boca, garganta, pênis e ânus, além de verrugas genitais. Por isso, a Instituição lança campanha temática, como o lema “forte é quem se cuida”. A ação é direcionada a pais e responsáveis de meninas de 9 a 14 anos e meninos entre 11 e 14, faixas etárias imunizadas gratuitamente nos postos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) durante o ano inteiro.

Para atingir esse público, a campanha conta com a parceria de Popeye e Olívia Palito. Os personagens que acompanham diversas gerações foram escolhidos para falar não só com as crianças e adolescentes a serem vacinados, mas principalmente com seus pais e responsáveis, que normalmente cuidam da carteira de vacinação desse público.

As peças publicitárias serão divulgadas nas redes sociais da Instituição, incluindo Facebook, Instagram, LinkedIn e WhatsApp. A campanha conta ainda com materiais informativos que serão disponibilizados para download gratuito no site da Fundação e poderão ser impressos e utilizados para divulgação da vacinação em instituições de ensino, clubes etc.

Mitos e verdade sobre o HPV

Terceiro tumor maligno mais frequente entre as mulheres brasileiras, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer do colo de útero é principalmente causador pelo HPV. Por isso há o mito de que só as mulheres podem ser afetadas. Entretanto, essa não é a única doença causada pelo vírus sexualmente transmissível. Outras áreas também podem ser acometidas em decorrência do contato, tais como boca, garganta, pênis, ânus, e a verrugas genitais. Por isso, tanto meninas quanto meninos precisam ser imunizados com a vacina.

Outro mito que impede muitos pais e responsáveis de imunizarem seus filhos contra o HPV é o de que a vacina causa graves sequelas. “Nas campanhas de vacinação, sempre entram em cena algumas notícias falsas sobre a vacina contra o HPV, mas é importante ter em mente que além de não haver perigo na imunização, essa é a forma mais eficiente de se alcançar a erradicação dos cânceres causados pelo vírus”, ressalta Luiz Augusto Maltoni Jr, diretor executivo da Fundação.

Além disso, o HPV ainda é cercado de tabus. Sem saber que o vírus causa diversos tipos de cânceres além do de colo de útero, muitos acreditam que apenas as meninas precisam ser vacinadas quando, na verdade, os meninos também necessitam dessa defesa. É também importante ressaltar que a vacinação é feita em duas doses e só é eficaz desde que antes do contato com o vírus.

Por isso, os pais e responsáveis de meninas de 9 a 14 anos e de meninos entre 11 e 14 devem procurar os postos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o Brasil. A vacina contra o HPV é gratuita na rede pública e está disponível durante o ano inteiro para essas faixas etárias. Essa é a uma forma segura e a mais eficaz de imunização ao vírus causador de diversos tipos de cânceres.