Programa de Educação Continuada em Radioterapia | Fundação do Câncer
DOE AQUI

Programa de Educação Continuada em Radioterapia

Notícias

O Programa Nacional de Formação em Radioterapia, desenvolvido pela Fundação do Câncer, iniciou hoje sua segunda fase de atuação, no Rio de Janeiro. Com o modelo de educação continuada, 76 profissionais de 19 instituições do Espírito Santo e Minas Gerais e do próprio Rio de Janeiro participaram de atualização em radioterapia no módulo com foco em tumores de mama e ginecológicos. O professor Carlos Eduardo Almeida, coordenador científico do Programa, destacou a importância das aulas conjuntas para médicos rádio-oncologistas, físicos-médicos, técnicos e enfermeiros, em uma ação multidisciplinar que promove uma melhor comunicação entre os membros da equipe, de forma a garantir a qualidade do tratamento de pacientes.

“É hora de atuar na educação das equipes e não com profissionais isoladamente. É a compreensão da importância da ação coletiva que leva ao sucesso, pois quando as transições e a divisão das atribuições não estão claras para todos os envolvidos no tratamento, os resultados podem não ser os desejados”, afirmou o professor Carlos Eduardo.

O Programa de Educação Continuada em Radioterapia (Pro-Rad 2) acontecerá também em outros três polos: São Paulo (SP), Brasília (DF) e Fortaleza (CE), em parceria com o Instituto Nacional de Câncer (Inca) e a Sociedade Brasileira de Radioterapia. Os hospitais parceiros são; Sírio-Libanês (SP e BSB) e Instituto do Câncer do Ceará (CE). Ao todo, serão três módulos aplicados em cada polo, mais de 30 professores e envolvidos em aulas práticas e teóricas.

“Para Fundação do Câncer, que há mais de 25 anos atua no controle do câncer no país, é um motivo de muito orgulho treinar recursos humanos em radioterapia. É uma etapa essencial para tratar com eficiência e qualidade o enorme número de pacientes oncológicos no Brasil”, disse o médico Luiz Augusto Maltoni, diretor-executivo da Fundação do Câncer.

A médica patologista Alessandra Nascimento, diretora do Serviço de Anatomia Patológica da Rede D’Or destacou a importância dessa primeira aula, como uma oportunidade para os participantes, apresentando uma visão geral de como o câncer é tratado, diagnosticado e visto por diferentes especialidades é fundamental. “Tratar, sem entender com o que estamos lidando é uma desvantagem. Não basta saber somente da nossa área, entender um pouco das outras áreas subsidia o meu trabalho e vice-versa”, afirmou.

O físico Vinicius Santos, que atua no Hospital Hinja, em Volta Redonda, espera ter uma abrangência maior de biologia e patologia. “Quero ampliar o conhecimento da parte anatômica, que é base para o tratamento. É mais uma atualização que a gente sempre busca ter, sem falar na troca de experiências com profissionais da mesma área e de outros com bastante vivência no tratamento da doença”, afirmou.

O módulo mama e ginecológico acontece até sexta-feira, dia 11 de agosto. Os próximos terão foco nos tumores de cabeça e pescoço e geniturinário.  Até o momento, 320 pessoas já passaram pelos cursos oferecidos na primeira fase do Programa Nacional de Formação em Radioterapia.

Luiz Augusto Maltoni Jr, diretor-executivo da Fundação do Câncer

 

Professor Carlos Eduardo de Almeida, coordenador científico do programa

 

Dra Célia Viégas, coordenadora do Módulo de Atualização Médica em Mama e Ginecológico.

 

Dr. Luis Claudio Thuler, pesquisador da Divisão de Pesquisa Clínica do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

 

Dra Célia Viégas, coordenadora do Módulo de Atualização Médica em Mama e Ginecológico.

 

Dra. Ellyete Canella, radiologista da Clínica Labs A+ Medicina Diagnóstica.

 

Dr. Carlos Frederico de Lima, diretor do Hospital Fundação do Câncer.

 

Dr. Frederico Muller, coordenador de Oncologia Clínica do Hospital Fundação do Câncer

 

Dra. Cinthya Queiroz, chefe de Radiologia do Hospital Fundação do Câncer.

 

Dra. Alessandra Nascimento, diretora do Serviço de Anatomia Patológica da Rede D’Or.