polen
Nos ajude nessa causa DOE AGORA
Campanha da Fundação do Câncer quer conhecer histórias inspiradoras

Campanha da Fundação do Câncer quer conhecer histórias inspiradoras

O Dia Mundial do Câncer acontece anualmente no dia 4 fevereiro. Neste ano, o tema da campanha da Fundação do Câncer para a data será Inspire a Mudança. Nela, queremos conhecer e compartilhar histórias inspiradoras de pessoas que, a partir da vivência com a doença ou da experiência de seus familiares, transformaram suas vidas e a de muitas outras pessoas.

Um exemplo é Andréa Souza Vale, que criou o Projeto Peito Aberto após ser diagnosticada com câncer de mama e ter feito a cirurgia de retirada total da mama direita. Ela realiza ensaios fotográficos gratuitos de mulheres que tiveram a doença, com o objetivo de elevar a autoestima dessas pacientes.

A ação da Fundação do Câncer acontece alinhada ao movimento global I am and I will, da World Cancer Day. Com duração de três anos, a campanha deseja mostrar que quem quer que você seja, suas ações, grandes ou pequenas, farão uma mudança duradoura e positiva.

Você pode acompanhar as histórias pelo nosso Instagram, Facebook e LinkedIn. Aproveite para nos seguir nas nossas redes sociais!

Nesse verão a escolha é sua

Nesse verão a escolha é sua

O verão está mobilizando uma parceria em torno de uma meta: prevenir o câncer de pele, responsável por 30% de todos os tumores malignos no Brasil. Por isso, a Fundação do Câncer e a Ecoponte estão numa campanha conjunta para alcançar mais de 100 mil usuários, que trafegam diariamente pela ponte Rio-Niterói.

A campanha ‘Nesse verão a escolha é sua” compreende painéis de Led na praça de pedágio, painéis front light, nos dois sentidos da rodovia e matéria sobre câncer de pele na Revista Ecoponte, distribuída na praça de pedágio e disponibilizada no site da concessionária.

Para Pietro Franco, coordenador de Sustentabilidade da Ecoponte, os cuidados com a pele exigem proteção. “A parceria com a Fundação do Câncer ajuda a promover esta conscientização e reforça este apelo aos usuários da rodovia”, reforça Pietro. Faça como a Ecoponte, seja um parceiro da Fundação do Câncer e ajude a prevenir o câncer. Mais informações doador@cancer.org.br ou ligue 08001234646. Faça como a Ecoponte!
hashtag

#InspireAMudança e seja parceiro da Fundação do Câncer!

FUNDAÇÃO DO CÂNCER PROMOVE CAMPANHA OUTUBRO + QUE ROSA

FUNDAÇÃO DO CÂNCER PROMOVE CAMPANHA OUTUBRO + QUE ROSA

Outubro + que Rosa. Essa é a campanha da Fundação do Câncer, para alertar que a prevenção ao tipo de câncer mais comum entre as mulheres brasileiras deve ser feita durante todo o ano. A campanha, apoia as atividades do Programa Nacional de Controle do Câncer e pretende sensibilizar toda a sociedade no controle do câncer de mama, relembrando que o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura da doença.

Para 2019, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima 59.700 casos novos da doença, o que representa uma taxa de incidência de 56,33 por 100 mil mulheres.

Entre nessa cruzada contra o câncer de mama! Saiba como participar da campanha!

PARTICIPE DA CAMPANHA DA FUNDAÇÃO DO CÂNCER

De 1 a 31 de outubro, quem for ao Botafogo Praia Shopping, Nova América e Shopping Tijuca, todos na capital carioca, podem ajudar na campanha. Algumas lojas vão destinar percentuais de alguns produtos para doar à Fundação do Câncer, para manter projetos e programas de pesquisa, prevenção e controle do câncer. As lojas estarão sinalizadas com selo do Outubro + que Rosa em suas vitrines.

No Shopping Nova América, de 14 a 18 de outubro, será montado um lounge, em parceria com a Fundação do Câncer, onde vão ocorrer diversas atividades, sempre às 19h, no 1º piso do shopping. Confira a programação:

14/10 – Juntos, pela vida – roda de conversa com mulheres que passaram ou estão em tratamento contra o câncer e com pessoas que apoiaram familiares na luta contra a doença. Participações confirmadas: Sylvinha Pozzobon (nutricionista, atleta e coaching) e Joana Romoff (advogada e fundadora @corrocomelas).

15/10 – Vida + ativa – informações sobre atividades físicas para quem quer começar a se cuidar e evitar fatores de risco para várias doenças, inclusive o câncer.

16/10 – Doando autoestima – workshop sobre doação de cabelos para fabricação de perucas para pacientes oncológicos. Parceria com a JakBel.

17/10 – Conversa com especialistas – um papo cheio de informação com os médicos da Fundação do Câncer, Carlos Frederico Lima (mastologista) e Pedro Henrique Araújo de Souza (oncologista clínico), além de convidados especiais para esclarecer dúvidas e saber mais sobre os cuidados com a saúde em todas as épocas do ano.

18/10 – A beleza da superação – workshop sobre os cuidados especiais com a pele e, principalmente, com a autoestima da mulher em tratamento do câncer. Ação de valorização feminina em parceria com a Dermage dermocosméticos.

#DicasdePrevenção: material disponível para baixar e compartilhar

A Fundação do Câncer disponibiliza as dicas de prevenção para baixar e divulgar nas redes sociais e aplicativos de mensagem. O pacote é composto de oito imagens e um arquivo com legendas produzidas pela equipe técnica da Fundação. Ao postar, marque nossos perfis (facebook.com/fundacaodocancer e  instagram.com/fundacaodocancer) e use as hashtags: #eumeimporto #outubrorosa #outubromaisquerosa.

OUTRAS AÇÕES

Durante todo o mês de outubro, os alunos das academias GO30, presentes em diversos estados do país, farão diversas ações de prevenção com as alunas das unidades da academia e informações sobre o tema em suas redes sociais, com dicas de prevenção e detecção precoce da Fundação do Câncer.

Boletins informativos também estão sendo veiculados nas rádios SulAmérica Paradiso e Mix Rio. Ao longo desse mês de conscientização sobre prevenção do câncer de mama, as emissoras irão divulgar uma série de dicas da Fundação do Câncer. Os sites das duas rádios também terão uma página dedicada a prevenção do câncer de mama, com conteúdo disponibilizado pela Fundação. O objetivo é de conscientizar a população sobre a adoção de hábitos saudáveis, como fator de prevenção e a importância da visita regular ao médico, para realização de exames preventivos conforme indicação profissional.

LOJAS E PRODUTOS PARCEIROS

Conheça as marcas e produtos que irão destinar parte das vendas realizadas em outubro para apoiar nossos projetos e programas de prevenção e controle do câncer.

BOTAFOGO PRAIA SHOPPING

Blih – Body Vazado Onça

Via Mia – 10 Produtos Selecionados na loja

SHOPPING NOVA AMÉRICA

Anacapri – Sandália Tiras Tricolor

Clube Melissa – Melissa Mellow Preto/Preto, Branco/Preto e Branco/Rosa

Morana – Conjunto Prateado Banho de Ródio e Conjunto Banho Dourado

Outer – Sandália Rasteira Lima

Pelo Zero – Serviços de Depilação no dia 28/10

SHOPPING TIJUCA

A Casa da Bruxa – Bebidas Especiais Não Alcoólicas

Lulean – Alianças

Salinas – Peças com Estampa Groove

Unkle K – Bolsa Nylon Básico Verão 2020

UV Line – Viseira Capri

Wiñk – Sérum para Cílios e Sobrancelhas

REDES

Armadillo – Bermuda Cargo Jobim

Authen – Top Outubro Rosa (site: www.authen.com.br)

Dermage – Photoage Antiox Com e Sem Cor

Lavanda Fitness Spa – Massagem com Pindas

Lemi – Bags Tons de Rosa (venda exclusiva nas redes sociais @modadesignconsciencia com código promocional: outubro mais que rosa)

Meia de Seda – Promoção leve 5 pague 4 na loja toda

Não + Pelo – Linha de Cremes

Santé Bistrô – Risoto de Gorgonzola com Pera e Ervilha e Nhoque de Batata Inglesa com Camarão

Mulheres diagnosticadas com câncer superam o abandono

Mulheres diagnosticadas com câncer superam o abandono

Mulheres diagnosticadas com câncer superam o abandono

Roseli Theodoro, de 46 anos, foi abandonada pelo marido ao ser diagnosticada com câncer de mama e superou o término com ajuda do grupo de apoio.
Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo

Especialistas alertam sobre a importância do acompanhamento psicológico e grupos de apoio na luta contra a doença

Taís Rocha tinha 47 anos quando, recém-saída de um relacionamento abusivo, descobriu que tinha câncer de mama. Ainda durante o tratamento pensou ter encontrado um novo amor, mas o namoro acabou assim que os seus cabelos começaram a cair, consequência da quimioterapia. O companheiro não soube lidar com o diagnóstico, e ela mesma decidiu seguir sua luta sozinha.

— Sei que sou um ponto fora da curva. O instinto de sobrevivência falou mais alto em mim. Preferi enfrentar tudo sozinha, mas em paz — conta Taís, admitindo ter sentido falta de apoio durante a recuperação.

Sua experiência é parecida com a de Roseli Theodoro, de 46 anos. Ao receber o diagnóstico de câncer de mama, foi abandonada pelo marido, com quem foi casada por duas décadas.

— Senti um afastamento imediato logo após o primeiro atendimento. Ele só foi comigo ao hospital na primeira vez, depois dizia que não podia. Ele nem dormia mais ao meu lado — relata Roseli, que é pensionista e faz bicos para ajudar sua filha a se formar na faculdade.
A falta de apoio das pessoas no entorno é um dos principais motivos que levam ao mais frequente transtorno psiquiátrico que acomete as pacientes com câncer: a depressão.

Segundo estudo do Centro de Referência da Saúde da Mulher e do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP), a depressão ocorre em até 29% dos casos e está associada a um pior prognóstico e aumento da mortalidade pelo câncer.

A solução encontrada por Roseli para a solidão foi frequentar um grupo de apoio. No Amigas do Peito, encontrou outras mulheres com a mesma doença, partilhou experiências e encontrou acolhimento:

— Para mim, essa amizade entre mulheres foi muito importante. Se não fosse por esse grupo, eu teria pirado mesmo. Nós apoiamos umas às outras, é um lugar que nos fortalece.

 

A estilista Taís Rocha, de 47 anos, achou melhor terminar o namoro que estava atrapalhando o seu tratamento.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal.

Para ela, a presença da sua família e do grupo de mulheres do hospital preencheu o vazio que a separação deixou. Hoje, Roseli procura ajudar outras pacientes que também foram abandonadas pelo companheiro.

— Vejo mulheres morrendo não pelo câncer, mas pela depressão — desabafa. — Se não tiver uma pessoa para te ajudar, seja familiar, seja um grupo, você fica muito vulnerável.

Curada desde 2006, Roseli conta que foi preciso se manter ocupada para não entrar em depressão. Hoje, namorando um homem mais jovem, conta que o ex-marido voltou a procurá-la.

— Depois que eu fiz a reconstrução da mama, ele quis voltar. Mas aí eu não aceitei — diz. — Se ele não me quis com um seio só, porque ele vai querer agora? Eu comecei a me amar.

 

Desamparo e ansiedade

A assistente social Solange Nagy coordena uma das unidades do Grupo de Apoio a Pessoas com Câncer. Com 12 anos na área da oncologia, ela diz ser “bem comum” ver mulheres abandonadas após o diagnóstico.

Erika Pallottino, psicóloga especializada em lutos e perdas, diz que o estado emocional abalado pela falta de apoio pode resultar num quadro de piora da doença:

— Algumas mulheres conseguem superar por se sentirem sobreviventes do câncer, outras podem dar início a um quadro de depressão. O desamparo diminui a autoestima, a sensação de segurança. Pode causar ansiedade e alteração no sono.

Para a psicóloga, que trabalha no hospital Fundação do Câncer, o suporte emocional é importante para ajudar a organizar os sentimentos e dar força para a continuidade do tratamento, com todas as dificuldades que ele traz. Pallottino reitera a importância dos grupos de apoio, que possibilitam às mulheres se reconhecerem naquelas que atravessam as mesmas dificuldades.

O desamparo não se dá apenas na esfera amorosa. A advogada Ludmilla Viegas, de 35 anos, descobriu um câncer de mama aos 33 e foi demitida logo após sua cirurgia de mastectomia total.

— Quando falei no escritório que não podia digitar, eles me demitiram. Depois disso, fui diagnosticada com depressão. Fiquei sem nada, e minha vida se resumia ao câncer — lembra a advogada.

Ludmilla Viegas e sua esposa durante a cerimônia de casamento que ocorreu logo após sua última sessão de quimioterapia.
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Ludmilla foi orientada a procurar um psicólogo, porque dormia mal e chorava muito. Conheceu então o Amigas do Peito, mas demorou a concordar em se juntar ao grupo. Não queria, conta ela, estar num lugar “cheio de gente triste e doente”. Com o tempo, começou a enxergar nas outras a sua história.

— Muitas passavam pelo mesmo que eu. Percebi que estavam doentes, mas só de corpo. Por dentro, eram felizes e animadas.

Mesmo enfrentando o tratamento, Ludmilla se apaixonou. Sem um dos seios, aceitou o pedido de casamento que sua companheira fez pouco antes da primeira sessão de quimioterapia. Passou a organizar os preparativos da festa e, graças ao que aprendeu nas aulas de artesanato do grupo de apoio, conseguiu fazer seu próprio buquê e as lembrancinhas dos convidados. A cerimônia foi marcada para depois da última sessão de quimioterapia da paciente.

— A festa foi no dia do aniversário do nosso primeiro beijo. Meu véu tinha seis metros de comprimento. Falei: “já que não tenho cabelo, meu véu vai ser grande” — conta ela. — Fui criada por mulheres, não sei quem é meu pai e não tenho figuras masculinas por perto. Elas cuidaram de mim, juntamente com as meninas do grupo de apoio e, principalmente, a minha esposa. Ela quis se casar comigo mesmo eu estando careca e doente.

*Estagiária, sob supervisão de Cristina Fibe
Fonte: O Globo – 23/03/2019 

Nos ajude nessa causa

Você pode ajudar a Fundação do Câncer com doações financeiras para os projetos de combate ao câncer ou através da divulgação das iniciativas da instituição nas redes sociais.

DOE AGORA 

Saiba como foi a primeira edição do Outubro +que Rosa

CAMPANHA DA FUNDAÇÃO LEVOU HOMENS E MULHERES A PALESTRAS E OUTRAS ATIVIDADES
DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O CÂNCER DE MAMA

A primeira edição da campanha Outubro +que Rosa – criada para despertar a empatia e conscientizar a sociedade da importância da prevenção e do diagnóstico do câncer de mama – revelou que os homens também estão interessados em saber mais sobre a doença. Pais, maridos e outros familiares de pacientes em tratamento ou em fase de remissão estiveram presentes nas palestras gratuitas e abertas ao público promovidas pela Fundação do Câncer, no dia 18 de outubro.

A programação incluiu diversas atividades para pessoas que passam ou já passaram pela fase de tratamento da doença. A equipe do Hospital Fundação do Câncer e profissionais convidados abordaram temas como inovações médicas em tratamento e diagnóstico, direitos do paciente com câncer, nutrição e automaquiagem (veja boxe ao final da matéria).

A sexualidade da mulher durante e após o tratamento da doença foi destaque em palestra da psicóloga e terapeuta sexual Tatiana Presser, que atraiu também o público masculino.  “São muitas as mudanças físicas e emocionais pelas quais as mulheres passam no processo que vai do diagnóstico ao tratamento. É justamente nesse momento que o sexo pode ser um aliado importante no combate à depressão, que acomete grande parte dessas pacientes”, explica.

Durante o evento, o público foi convidado a participar do preparo de receitas recomendadas para pacientes oncológicos, guiado por nutricionistas do Hospital, e também degustar um delicioso café carioca, servido pelo Café Capital, parceiro da Instituição. Foram distribuídos brindes como livros, cosméticos e hidratante para as mãos da Granado.

Como desdobramento da campanha, a Fundação do Câncer se uniu aos lojistas do Shopping Tijuca e do Shopping Metropolitano Barra, localizados no Rio de Janeiro, para divulgar a importância da causa aos consumidores. Pelo menos um item das lojas participantes foi marcado com a tag Outubro +que Rosa e teve um percentual das vendas revertido em doações para a Instituição. Em São Paulo (SP), a parceria foi com a Meia de Seda, que doou caftans para as pacientes em tratamento do Hospital e doou 10% do valor de cada traje vendido à Fundação.

Programação do evento Outubro +que Rosa

Confira algumas fotos do evento:

​Paciente do Hospital Fundação do Câncer na companhia do seu marido para a programação Outubro +que Rosa

​Aline Costa Lima, especialista em anatomia e biomecânica e líder da Smartfit do Meier realizando alongamento com o público

​Dr. Jorge Augusto Teles, gerente jurídico da Fundação do Câncer falando sobre os direitos dos pacientes oncológicos

​Pacientes do Hospital Fundação do Câncer e seus respectivos acompanhantes com o Dr. Marcelo Lelis, Mastologista do Hospital

​Os companheiros das pacientes do Hospital Fundação do Câncer são homenageados com gift da Barbearia do Zé

​Luciana Ítalo, líder da área de Nutrição do Hospital Fundação do Câncer ensina receita de lanche saudável para pacientes em tratamento

​Pacientes são maquiadas por Jú Rocha, que deu dicas de automaquiagem durante sua participação

 

 

Sheila Prado, gerente de Tecnologia da Informação, trabalha na Fundação do Câncer há mais de 10 anos

Foi graças ao acompanhamento de rotina e ao conhecimento do próprio corpo que Sheila descobriu, em 2013, que estava com câncer de mama.

“Tinha feito pouco antes uma mamografia e, por isso, meu primeiro diagnóstico foi negativo. Fui acompanhando e, quando recebi a notícia da doença, o tumor já estava com 12 centímetros”, lembra Sheila. Saber que estava com câncer, no entanto, não a impediu de seguir com seus objetivos. “O Dr. Carlos Federico, diretor do Hospital da Fundação e mastologista, que realizou minha mastectomia, disse-me uma frase que ficou muito marcada: ‘Seu mundo não acabou. Seus planos mudaram, mas o mundo não acabou’. Tem muita gente que se desespera, nega fazer o tratamento. Mas precisamos acreditar na cura.”

O trabalho na Fundação ajudou a gerente a ter forças no período da doença. “A gente se sensibiliza bastante com a causa da Instituição. Na época, trabalhávamos bastante com o Inca e tínhamos contato com pacientes. Isso ajuda a reforçar o cuidado que devemos ter com a saúde”, diz Sheila.

Curada do câncer, Sheila faz acompanhamento frequente e reforça a importância da prevenção e do autoconhecimento. Clique aqui e assista ao depoimento dela sobre o período.

 

Queremos ouvir você!

Faça como Sheila. Envie à área de Comunicação e Marketing um depoimento contando um pouco da sua trajetória na Fundação do Câncer. Sua história é muito importante para nós!

Contato: comunicacao@cancer.org.br

 

​Sheila Prado durante tratamento de quimioterapia com os amigos de trabalho da Fundação do Câncer

​Sheila participa de ações durante campanha de Outubro Rosa da Fundação do Câncer

​Sheila após tratamentos do câncer de mama